fbpx

Convivência entre Cães e Gatos

Convivência entre Cães e Gatos

A maioria dos gatos é capaz de coexistir pacificamente com um cão, no entanto é necessário uma introdução cautelosa para que ambos possam conhecer um ao outro confortavelmente. A melhor situação, para quem deseja ter um cão e um gato na mesma casa, convivendo de forma harmoniosa e pacífica é sem a menor sombra de dúvida a aquisição simultânea de um cachorro e de um gatinho bebé. Quando são criados juntos, eles geralmente irão aprender a conviver e a brincar juntos, podendo desta forma ser amigos de verdade, devido ao fato de brincarem e dormirem juntos, tornam-se irmãos com grande facilidade.

Para introduzir um gato numa casa onde existam cães, é necessário ensinar tanto os cães, quanto o novo gato a tolerarem um o outro. Não é incomum que devido à personalidade de alguns cães e gatos, que a convivência entre eles possa vir a tornar-se bastante amigável. No entanto, é importante ter em mente que alguns cães e alguns gatos podem acabar nunca aceitando um ao outro e podem não ser capazes de viver juntos nem em paz. Portanto não existe uma garantia, isto dependerá de um número incalculável de variáveis. Não se esqueça que nada é imediato, levará algum tempo para que os seus esforços comecem a surtir um efeito positivo.

Seguem algumas dicas importantes:

  1. Os cães organizam a sua sociedade em matilha através de uma hierarquia onde apenas existe um animal dominante. Por outro lado, os gatos são animais solitários que simplesmente defendem o seu território. Esta diferença pode fazer despoletar alguns conflitos. Disto podemos deduzir que devemos respeitar a hierarquia do cão, em que ele vai ser o animal dominante em relação ao gato mas também devemos respeitar e facilitar a territorialidade do gato, dando-lhe um espaço próprio que não possa ser invadido pelo cão.

  1. Não importa se o novo animal é o gato ou o cachorro, o animal que já reside em nossa casa deve conhecê-lo, e tem preferência sobre o novo “inquilino”. É um momento muito importante, e deve tentar evitar a sobre-excitação para que ambos estejam tranquilos. Por esse motivo recomendamos-lhe que o residente de sua casa antes de conhecer o novo animal tenha comido, bebido e esteja cansado depois de um passeio ou uma sessão de brincadeira. Desse modo estamos a reduzir o instinto de caça.

  1. Deve cuidar da educação com reforço positivo desde o primeiro dia de convivência. Trabalhe a domesticação em conjunto com a educação dos dois. Faça da sua casa um lar feliz para ambos.

  1. Não podemos esquecer que tanto os cães como os gatos são animais predadores, isto indica que é muito fácil que se inicie uma disputa pela comida que pode acabar com uma mordida ou um arranhão, para evitar algum incidente é necessário que cada animal coma em um espaço diferente e separado do outro animal. Com o tempo e se ganharem amizade não irá precisar de os separar. Também não deve permitir que um coma a comida do outro, faça com que se respeitem mutuamente, havendo comida pelo meio ou não, pelos menos na sua presença devem se respeitar um ao outro.

  1. Os ciúmes e o desejo de ter um brinquedo podem piorar muito uma relação entre cão e gato. O cão tem uma natureza social e os gatos tendem a ter um instinto predador mais ativo. Estes comportamentos tão diferentes podem ser amenizados através do uso de brinquedos que canalizam o instinto de caça nos gatos evitando assim as condutas predadoras, exteriorizará a sua natureza de forma inofensiva. Por outro lado, o cão encontrará no brinquedo um objeto que lhe pertence, algo que fará com que o cão se sinta seguro e no seu lar. Dê vários brinquedos a cada um deles de várias cores, formas e alguns podem até emitir ruído. Tanto o cão como o gato vão agradecer e além disso está a proporcionar-lhes uma distração para quando você não está presente.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *